TIMBÓ - aventuras de um português no Brasil

Aqui publico pequenos excertos do meu livro "Timbó" que relata quatro meses intensos no Brasil. Música, literatura, miséria, teatro, sexo, saudade... Tudo o que me impressionou em 120 dias de intensa felicidade.

Wednesday, May 03, 2006

AMANTE DAS ONDAS



(...) De todos os amantes, só fiquei eu. E as ondas, claro! As ondas que não me deixam ir embora por não terem mais nenhum corpo para a-mar. Mais tarde a praia encher-se-á de gente, milhares de corpos que elas amarão rapidamente num amor prostituto, inconsequente. Mas agora quando, além dos meus, outros pés não pisam as calmas areias de Copacabana, elas podem entregar-se ao meu amor como se fôssemos amantes escondidos num quarto de hotel (...). Mar eu sou! Nunca fui tanto! Os meus braços liquefazem-se no azul da alvorada, os meus pés diluem-se na imensidão luminosa da água salgada. Sou corpo líquido. Saliva, esperma e suor. Nada mais! Mar. Mar! Mar... (...)

3 Comments:

Blogger anamarina said...

Tiago, tenho tentado encontrar maneiro de o contactar através de email mas não sei como,e como os blogs estão tão desatualizados nem sei se você vai ver este comentário ,mas vou tentar. Canto fado e tenho escutado alguns poemas seus e gostaria de pedir permissão para cantar algumas coisas suas, como " A Ilha" por exemplo. beijos. Marina
http://anamarina.com.sapo.pt/index.html
obrigada

11:55 AM  
Blogger Helena Corado said...

Tiago este ...texto... é lindo, aliás sinto que qualquer adjectivo é banal para qualificar este teu excerto. A Arte é isto, é SENTIRMOS dentro de nós este prazer imenso que nos invade e nos enche de uma "coisa" maior e mais poderosa do que a felicidade, que nos faz arrepiar a alma e nos deixa ofuscados, como se tivéssemos sido atacados por um clarão branco brutal.
Obrigado por me teres dado o prazer de ler a tua Arte.
Beijos
Prima Lena

11:22 AM  
Blogger Helena Corado said...

Tiago este ...texto... é lindo, aliás sinto que qualquer adjectivo é banal para qualificar este teu excerto. A Arte é isto, é SENTIRMOS dentro de nós este prazer imenso que nos invade e nos enche de uma "coisa" maior e mais poderosa do que a felicidade, que nos faz arrepiar a alma e nos deixa ofuscados, como se tivéssemos sido atacados por um clarão branco brutal.
Obrigado por me teres dado o prazer de ler a tua Arte.
Beijos
Prima Lena

11:23 AM  

Post a Comment

<< Home